Japão vê alta taxa de anafilaxia após tomar a vacina Pfizer

O país ainda vacinou um número reduzido de pessoas até o momento, fazendo os números de reações alérgicas chamarem atenção

Japão vê alta taxa de anafilaxia após tomar a vacina Pfizer

As plessoas no Japão que receberam a vacina COVID-19 da Pfizer Inc. parecem ter sofrido anafilaxia em uma taxa maior do que nos Estados Unidos e na Europa, disse o ministro encarregado dos esforços de vacinação. “É verdade, isso parece ser mais do que nos Estados Unidos e na Europa”, disse Taro Kono a um comitê parlamentar.

O Ministério da Saúde disse mais tarde que mais oito casos de anafilaxia, uma reação alérgica grave e potencialmente fatal, foram relatados, elevando o total para 25 entre cerca de 148 mil profissionais de saúde que foram vacinados até quarta-feira. Entre os que sofreram anafilaxia, 24 eram mulheres. O primeiro caso masculino foi notificado no mesmo dia.

A taxa se compara a cinco casos em cada 1 milhão de doses administradas nos Estados Unidos e 20 casos por milhão na Grã-Bretanha. Pessoas que tomam a vacina COVID-19 desenvolvida pela Pfizer e seu parceiro BioNTech SE estão sendo solicitados a permanecer no local por pelo menos 15 minutos para verificar anafilaxia e outros efeitos colaterais.

De acordo com o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar, os sintomas experimentados dentro de cinco a 30 minutos após receber a injeção incluem dor de garganta, urticária e dificuldade para respirar. Todos eles se recuperaram após receber tratamento. A ministra da Saúde, Norihisa Tamura, disse que um painel do ministério planeja revisar o assunto, investigando se os sintomas relatados no Japão são tão graves quanto os do exterior.

Veja também

Assine nossa newsletter