Japão vai garantir 310 milhões de doses da vacina contra COVID-19, diz Suga

Fontes governamentais disseram que o Japão pretende começar a vacinar o público em geral em maio

Japão vai garantir 310 milhões de doses da vacina contra COVID-19, diz Suga
Desbravando o Japão

O Japão espera garantir 310 milhões de doses de vacinas COVID-19, incluindo as fornecidas pela farmacêutica norte-americana Pfizer Inc., disse o primeiro-ministro Yoshihide Suga, que fez a observação em uma reunião plenária da Câmara dos Conselheiros. “As vacinações começarão com profissionais médicos, idosos e pessoas com condições médicas subjacentes.”

Suga prometeu que o governo divulgará “informações corretas, inclusive sobre reações adversas e eficácia, com base no conhecimento científico”. O governo disse que o Japão receberá um suprimento adicional de doses da vacina COVID-19 para 12 milhões de pessoas da Pfizer, uma vez que a vacina da gigante farmacêutica dos EUA provavelmente obterá aprovação para uso em meados de fevereiro.

Sob o último acordo, o Japão garantiu doses para um total de 72 milhões de pessoas, mais da metade de sua população de 126 milhões, da Pfizer neste ano, após concordar no ano passado em comprar 120 milhões de doses da empresa para 60 milhões de pessoas. A vacina da Pfizer, que é a única já em análise pelo Ministério da Saúde, deve ser aprovada em 15 de fevereiro, quando o ministério realizará uma reunião em painel relacionado, de acordo fontes governamentais. O fornecimento da vacina depende da aprovação do governo.

“Poderemos finalmente começar a vacinação, agora que um contrato foi fechado”, disse a ministra da saúde, Norihisa Tamura, durante uma entrevista coletiva. “Solicitamos o máximo de oferta de vacinas até o final do primeiro semestre”, acrescentou sem dar mais detalhes. O secretário-chefe de gabinete, Katsunobu Kato, sugeriu que a vacina seja aprovada para pessoas com 16 anos ou mais. “Países estrangeiros estão administrando a vacina Pfizer para pessoas com 16 anos ou mais, com base em dados de testes clínicos”, disse Kato em uma outra entrevista.

Leia em Japan Times (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também