Japão vai aumentar financiamento público para exploração de terras raras

O governo japonês está prestes a aumentar o financiamento para a exploração de metais e terras raras, à medida que a concorrência no setor se intensifica em meio a uma mudança global cada vez maior para veículos elétricos

Japão vai aumentar financiamento público para exploração de terras raras
“Rare Earth Elements” by London Commodity Markets is licensed under CC BY-NC-SA 2.0

O governo está considerando subir o teto de 50% do financiamento governamental para projetos de exploração de recursos até o final deste ano, disseram as fontes. Isso permitirá a Japan Oil, Gas and Metals National Corp. (Jogmec) arcar com mais da metade dos custos de exploração e desenvolvimento de minas de recursos naturais.

A mudança, se aprovada, reduziria a carga do setor privado na realização de tais projetos, que são arriscados e caros. A mudança de regra ocorre em meio a preocupações contínuas sobre o fornecimento de terras raras ao Japão. Em 2010, a China impôs restrições às exportações de terras raras para o país. Sem um suprimento constante de metais de terras raras, funcionários do governo temem que os esforços do Japão em mudar para energias mais limpas possam ser prejudicados.

O Ministério da Economia, Comércio e Indústria, que supervisiona a Jogmec, e o Ministério das Finanças, estão agora procurando mudar o papel da Jogmec para tratar de questões de segurança econômica. Ainda assim, o governo pretende definir um limite no escopo do papel expandido da Jogmec para a exploração de lítio, cobalto e cério – materiais essenciais para a produção de baterias EV – bem como neodímio e disprósio, que são usados ​​na produção de drives motores.

Todos esses minerais estão em evidência em meio a uma mudança global da energia baseada em carbono, mas tem havido preocupações com seus suprimentos. Espera-se que as casas comerciais estejam interessadas em investir nesses projetos. Com mais dinheiro da Jogmec, um projeto pode ser realizado com menos capital do setor privado, tornando mais fácil para as empresas perseguirem projetos maiores.