Japão reduzirá turmas do ensino primário para 35 alunos até 2025

Para escolas públicas de ensino fundamental, o ministério também pediu a redução do número máximo de alunos por classe, para 30 dos atuais 40

Japão reduzirá turmas do ensino primário para 35 alunos até 2025

O ministro das finanças Taro Aso e o ministro da educação Koichi Hagiuda concordaram em reduzir o número máximo de alunos por turma nas escolas primárias públicas para 35 até o ano fiscal de 2025, dos atuais 40.

O acordo foi alcançado durante as negociações sobre um pedido de financiamento relacionado ao projeto de orçamento do governo para o ano fiscal de 2021, que começa em abril. O Ministério da Educação apresentará um projeto de lei para a revisão necessária da lei na sessão ordinária da Dieta do próximo ano, a ser convocada a partir de janeiro.

O governo terá como objetivo garantir professores suficientes para lidar com as turmas menores ao longo dos cinco anos a partir de abril de 2021. A redução no tamanho das turmas será implementada gradualmente, começando nas séries iniciais. O número máximo de crianças do ensino fundamental permitido atualmente em uma classe é de 40, exceto para as classes da primeira série, cujo número foi reduzido para 35 no ano fiscal de 2011.

A mudança planejada será a maior redução do tamanho das turmas do ensino fundamental em cerca de 40 anos. O Ministério da Educação propôs turmas menores em sua solicitação de orçamento fiscal para 2021, a fim de reduzir os riscos do coronavírus e tornar mais fácil dar aulas usando computadores. Membros da National Governors ‘Association também buscaram classes menores.

Mas o Ministério das Finanças estava relutante em prosseguir com esse plano devido a preocupações com os custos de pessoal. Turmas menores “terão pouco impacto, se houver, no desempenho acadêmico das crianças”, disse o ministério.