Japão lamenta a decisão de Berlim em manter a estátua das “mulheres de conforto”

O distrito de Mitte, na capital alemã, permite a instalação desde setembro, apesar das objeções de Tóquio, a assembleia distrital aprovou a resolução para manter a estátua

Japão lamenta a decisão de Berlim em manter a estátua das “mulheres de conforto”
Desbravando o Japão

O governo japonês lamentou a aprovação da assembleia distrital de Berlim, após uma resolução permitir que uma estátua, que simboliza as mulheres coreanas que foram abduzidas para os bordéis militares durante guerra do Japão, permaneça no local. A instalação de estátuas de mulheres de conforto, por grupos cívicos fora da Coreia do Sul, além das próximas às instalações diplomáticas japonesas em Seul e Busan, tem sido uma fonte de tensão entre os dois países asiáticos.

“A decisão (de aprovar a resolução) está em conflito com a posição do governo japonês, bem como com nossas abordagens e é extremamente lamentável”, disse o secretário-chefe do gabinete, Katsunobu Kato, em entrevista coletiva, acrescentando que o governo continuará pedindo a remoção da estátua.

Tóquio afirma que o Japão e a Coreia do Sul já resolveram as questões da guerra quando assinaram um acordo bilateral em 1965, enquanto muitos na Coreia do Sul acreditam que o Japão não se arrependeu o suficiente de seu domínio colonial da Península Coreana, de 1910-1945, incluindo a questão relacionadas as mulheres de conforto.

A estátua em Mitte foi inaugurada no final de setembro, mas o distrito disse no início de outubro que havia rescindido sua aprovação, após a objeção de Tóquio. Em seguida, mudou sua postura em meados de outubro, dizendo que permitirá que a estátua permaneça por enquanto e espera que o Japão e a Coréia do Sul possam chegar a um acordo sobre o assunto.

Leia em Kyodo News (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também