Japão expressa objeção ao plano de Trump de adicionar a Coreia do Sul ao G-7

A mensagem foi transmitida por um alto funcionário do governo japonês após Trump, no dia 30 de maio, abordar a idéia de convidar a Austrália, Índia, Rússia e Coréia do Sul para a cúpula deste ano

Japão expressa objeção ao plano de Trump de adicionar a Coreia do Sul ao G-7

O Japão transmitiu aos Estados Unidos sua objeção à idéia do presidente Donald Trump de adicionar a Coréia do Sul à cúpula do Grupo dos Sete, dizendo que Seul não está em sintonia com os membros do G-7 sobre questões da China e da Coréia do Norte, disseram fontes diplomáticas.

A revelação de que o Japão manifestou oposição à participação da Coréia do Sul provavelmente perturbará Seul, que recebeu com agrado a oferta de Trump. Isso poderia azedar ainda mais os laços Tóquio-Seul, já ofuscados por disputas sobre a história da guerra e outras questões. Para o Japão, a inclusão da Coréia do Sul significaria perder seu status de único membro asiático do G-7, que também reúne Grã-Bretanha, Canadá, França, Alemanha, Itália e os Estados Unidos, além da União Européia.

Trump sugeriu que ele quer expandir o G-7 porque acredita que os membros atuais não representam adequadamente a situação global e estão “muito desatualizados”. Trump também foi citado como tendo dito ao presidente sul-coreano Moon Jae In, durante conversas telefônicas no início de junho, que ele também pode convidar o Brasil, com o grupo expandido a ser chamado de “G-11” ou “G-12“, de acordo com o Gabinete presidencial sul-coreano.