Japão estuda medidas anti-cyber-bullying, após morte de membro do elenco da Netflix

O governo procurará fazer com que os provedores de serviços de Internet revelem informações, incluindo números de telefone, a pedido das vítimas, disseram autoridades

Japão estuda medidas anti-cyber-bullying, após morte de membro do elenco da Netflix
Desbravando o Japão

Em uma entrevista coletiva a Ministra das Comunicações, Sanae Takaichi disse que “é necessário implementar adequadamente procedimentos para divulgar informações sobre remetentes, a fim de coibir abusos on-line e resgatar vítimas”, dias após a de Hana Kimura, uma lutadora profissional de 22 anos, que apareceu no programa Terrace House e morreu de um aparente suicídio.

Kimura, que apareceu no reality show que mostrava três mulheres e três homens procurando um romance, enquanto compartilhavam uma casa em Tóquio. Ela foi alvo de mensagens cheias de ódio nas redes sociais e posteriormente, foi encontrada desmaiada em sua casa na capital, com sua morte foi confirmada em um hospital. Acredita-se que ela tenha se matado usando um gás tóxico, de acordo com fontes investigativas.

Takaichi disse que o governo pretende revisar uma lei “com senso de velocidade” para simplificar procedimentos para identificar indivíduos que fazem posts difamatórios on-line, com o objetivo de compilar projetos de legislação até o final do ano. A lei existente estipula que, se postagens on-line unânimes violam os direitos humanos, os fornecedores podem excluir essas postagens.

O número de vítimas de bullying virtual aumentou muito nos últimos anos devido ao uso generalizado de smartphones. Um centro de consulta que o Ministério de Assuntos Internos e Comunicações criou recebeu cerca de 5000 casos no ano fiscal de 2019 encerrado em março, quatro vezes mais que o ano fiscal de 2010.

Se você está tendo pensamentos suicidas, a ajuda está disponível pelo serviço de emergência no Japão: 119. Você também pode ligar Yorisoi Hotline: 0120279338 (ligação gratuita). Pressione 2 após a mensagem gravada para consulta em português, inglês, chinês, coreano, tagalo, espanhol, tailandês, vietnamita, nepalês ou indonésio. O serviço nesses idiomas também está disponível no Facebook messenger.

N03 - 01-06-2020

Leia em Kyodo News (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também