Japão começa a restringir a entrada de todos os passageiros dos EUA

O Ministério das Relações Exteriores elevou o alerta de doenças infecciosas para os Estados Unidos para o Nível 2, o terceiro do topo em uma escala de quatro estágios, pela primeira vez, instando o público a evitar viagens não essenciais ao país

Japão começa a restringir a entrada de todos os passageiros dos EUA
Desbravando o Japão

Parte da série Coronavírus, em 354 posts

O Japão começa a impor restrições de entrada a viajantes dos Estados Unidos, incluindo de cidadãos japoneses, depois de aumentar o nível de alerta para o país devido à pandemia do COVID-19.

“Os participantes de todas as áreas dos Estados Unidos, incluindo os japoneses, serão convidados a permanecer em um local designado pelo chefe de uma estação de quarentena e a não usar o transporte público no Japão por 14 dias”, disse o primeiro-ministro Shinzo Abe em um comunicado, em uma reunião do Comitê de Orçamento da Câmara Alta.

A política foi definida em uma reunião da sede da força-tarefa COVID-19 no mesmo dia. As restrições serão aplicadas aos participantes que chegarem ao Japão através de aviões e embarcações que partiram a partir da meia-noite do dia 25 de março. A política continuará até o final de abril e poderá ser estendida. O governo não tomará nenhuma medida em relação aos vistos que já foram emitidos, como anulação deles.

O Japão introduziu gradualmente restrições de entrada de países sob o aviso de Nível 2, a China, a Coréia do Sul, ao Irã, ao Egito e toda a União Européia, exceto cinco países da Europa Oriental. A decisão de restringir a entrada de visitantes dos Estados Unidos está de acordo com essa política.

N55 - 26-03-2020
Oficiais de quarentena pedem aos passageiros que chegam de um voo de Frankfurt para preencher um formulário de questionário no Aeroporto Internacional de Narita, na província de Chiba
Foto: Tsubasa Setoguchi

Leia em Asahi (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também