Inteligência artificial torna a medicina genômica do câncer mais eficiente

Inteligência artificial torna a medicina genômica do câncer mais eficiente

A tecnologia recém-desenvolvida é capaz de gerar diagramas que podem ser usados para criar planos de tratamento e prever os efeitos de um tratamento em andamento.

A Fujitsu Laboratories Ltd desenvolveu com sucesso uma tecnologia que permite utilizar inteligência artificial para melhorar o planejamento do tratamento na medicina genômica do câncer.

A eficácia foi demonstrada por meio de experimentos realizados no Instituto de Ciências Médicas da Universidade de Tóquio desde abril de 2018.

No campo da medicina genômica do câncer, a criação de planos de tratamento derivados de informações genômicas permanece sendo um processo dispendioso e demorado.

A tecnologia recém-desenvolvida se apoia num vasto corpo de pesquisas e trabalhos acadêmicos para gerar um diagrama que pode ser usado para criar planos de tratamento, e também prever os efeitos de um tratamento em andamento.

Experimentos usando essa tecnologia permitiram ao Departamento de Hematologia e Oncologia do Instituto de Ciências Médicas da Universidade de Tóquio reduzir mais da metade do trabalho necessário para determinar um plano de tratamento para leucemia mielóide aguda, proporcionando maior eficiência.

O objetivo da medicina genômica do câncer é fornecer atendimento médico ideal para cada paciente, identificando mutações genômicas em pacientes com câncer e prevendo a probabilidade de doença e mensurando a resposta a medicamentos e efeitos colaterais

A partir de junho de 2019, no Japão, testes para identificar gene do câncer são cobertos pelo seguro de saúde, e os especialistas do setor prevêem que um número crescente de pacientes tende a procurar novos exames.

Atualmente, no campo da medicina genômica do câncer, ainda é necessário que médicos especialistas façam uma busca minuciosa em um banco de dados para poderem determinar métodos de tratamento apropriados, bem como seus efeitos no paciente.

A nova tecnologia gera automaticamente, com base em documentos médicos, um banco de dados de conhecimento sobre a relação entre mutações genéticas e drogas terapêuticas, e a relação entre drogas terapêuticas e seus efeitos.

Isso graças à aplicação da tecnologia de inteligência artificial da Fujitsu para processamento de linguagem, que identifica termos e frases usadas em trabalhos de pesquisa, bem como informações necessárias para discutir as políticas de tratamento identificadas pelo Instituto de Ciências Médicas da Universidade de Tóquio.

Fontes: