Homem acusado de envenenamento em “Ilha dos Gatos” pode ter dizimado a população de gatos da ilha

A Lei revisada de Tratamento Humano e Manejo de Animais, agora mais rigorosa do que antes, entrou em vigor no dia 1º de junho

Homem acusado de envenenamento em “Ilha dos Gatos” pode ter dizimado a população de gatos da ilha

Existem algumas ilhas chamadas Cat Island no Japão. A mais famosa é Aoshima, na província de Ehime, mas há uma menor chamado Umashima, perto do porto de Kokura, na ala Kokurakita de Kitakyushu, no oeste do Japão. Infelizmente no ano passado, a população felina de Umashima diminuiu bastante, de cerca de 90 em 2014 para 30, suspeitava-se de envenenamento.

A triste situação foi relatada pelo site Grapee em agosto de 2019, quando Masami Takeshita, do Taisetsuna Nekotachi (gatos preciosos), estava se preparando para registrar uma queixa criminal depois de buscar a cooperação do Testamento de Parar a Crueldade aos Animais (SCAT), sem fins lucrativos em uma investigação que revelou testemunhas oculares de comida de aparência estranha sendo deixada em torno da ilha, grupos de gatos parecendo sem vida e morrendo, e mais de 40 relatos de pessoas que viram gatos outrora saudáveis ​​espumando na boca e desabando.

Felizmente para os moradores felinos de Umashima, para o alívio de seus habitantes humanos e amantes de animais em todos os lugares, a SCAT apresentou a queixa em outubro de 2019 e finalmente resultou em uma ação legal. O Jornal Mainichi relatou que um homem de 80 anos que vive em Umashima foi acusado de violar a Lei de Tratamento Humano e Manejo de Animais e a Lei de Proteção da Vida Selvagem, suspeita de ter matado gatos e corvos com comida envenenada. Respondendo a um repórter de Mainichi no ano passado, o homem disse: “Eu pretendia exterminar ou assustar corvos. Eu não sabia que os gatos viriam”.

Se os relatos das testemunhas oculares forem verdadeiros e nenhum outro residente estiver envolvido, isso significaria que esse homem sozinho é responsável por causar as dolorosas mortes de quase 60 gatos nos últimos cinco anos e possivelmente um número não especificado de corvos. A Diretora Representante da SCAT, Sachie Yamazaki, declarou: “A Lei revisada de Tratamento Humano e Manejo de Animais, agora mais rigorosa do que antes, entrou em vigor em 1º de junho. Esperamos que o resultado (dessas cobranças) leve à prevenção do abuso de animais”. Segundo a lei revisada, a punição por matar gatos, domesticados ou selvagens, aumentou de até dois anos na prisão ou 2 milhões de ienes em multas para até cinco anos na prisão e 5 milhões de ienes em multas.

Leia em Grapee (Ben K. - Inglês)

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *