Governo quer proibir revenda de sanitizantes a preços abusivos

O governo japonês espera inibir a revenda desses produtos com prisão e multa a quem infringir a proibição, que já é aplicada para máscaras

Governo quer proibir revenda de sanitizantes a preços abusivos

O governo decidiu proibir a revenda de sanitizantes, antes de reabrir a economia em todo o país em meio à pandemia de coronavírus, disseram fontes próximas ao assunto.

Indivíduos e empresas serão proibidos de revender produtos sanitizantes a um preço superior ao seu preço de compra. Espera-se que o gabinete aprove a proibição já na sexta-feira.

A punição será uma sentença de prisão de um ano ou uma multa de ¥1 milhão (cerca de 9300 de dólares) ou ambos, como é o caso da revenda de máscaras faciais.

A revenda de bebidas com alto teor alcoólico e lenços umedecidos com álcool também serão proibidos, confirmaram as fontes.

Governo quer proibir revenda de sanitizantes a preços abusivos 1
Foto: Kyodo

Veja também

Assine nossa newsletter