Ex-Ministro da Justiça e esposa são presos por suposta compra de votos

Ex-Ministro da Justiça e esposa são presos por suposta compra de votos

É a primeira vez em 18 anos que um legislador japonês, que era membro do Gabinete, foi preso pelos promotores de Tóquio

O ex-Ministro da Justiça japonês Katsuyuki Kawai e sua esposa, Anri, foram presos na quinta-feira por supostamente darem milhões de ienes em dinheiro a políticos locais, como recompensa por seus esforços para garantir votos para ela nas eleições do último ano, disseram os promotores.

As prisões podem causar mais um golpe no Primeiro-Ministro Shinzo Abe, devido a seus laços com Kawai, que atuou como consultor especial para assuntos externos e depois assumiu brevemente, o cargo de Ministro da Justiça, após a eleição em julho.

O governo Abe já viu sua taxa de apoio sofrer um impacto devido à forma do Primeiro-Ministro conduzir as ações da pandemia de coronavírus e um incidente de jogo envolvendo um ex-promotor.

Ex-Ministro da Justiça e esposa são presos por suposta compra de votos 1
Katsuyuki Kawai

Kawai, de 57 anos, era membro da Câmara Baixa (que poderíamos comparar com a Câmara dos Deputados no Brasil), supostamente ofereceu um total de 1,7 milhão de ienes (algo em torno de 16.000 dólares) a cinco pessoas em conluio com sua esposa antes da eleição, e cerca de 24 milhões de ienes a 91 pessoas, de março ao início de agosto do ano passado, em troca da mobilização de apoio a ela durante a campanha, segundo os promotores.

A maioria das pessoas que foram interrogadas pelos promotores, incluindo governos provinciais e membros da assembleia municipal, chefes de governos locais e apoiadores da província de Hiroshima, que admitiram terem recebido dinheiro, segundo fontes investigativas. Uma das fontes disse que o valor máximo pago por pessoa era superior a 1 milhão de ienes.

Ex-Ministro da Justiça e esposa são presos por suposta compra de votos 2
Anri Kawai

Anri Kawai, de 46 anos, conquistou seu primeiro assento parlamentar nas eleições da Câmara dos Conselheiros (a Câmara Alta), depois de obter forte apoio do gabinete do premiê e da sede do Partido Democrata Liberal (LDP) de Abe. Durante várias rodadas de interrogatório voluntário, o casal negou as acusações de compra de votos contra eles, disseram as fontes.

Na quarta-feira, o LDP de Abe aceitou a demissão do casal. No entanto, eles disseram ao partido que pretendem continuar servindo como parlamentares. Em resposta às prisões, os partidos da oposição criticaram Abe por ter nomeado Kawai como ministro e pediram intensas discussões parlamentares.

Yukio Edano, líder do principal Partido Democrático Constitucional do Japão da oposição, pediu a Abe que renunciasse, dizendo: “A discrição do Primeiro-Ministro é questionável quando ele nomeou como Ministro da Justiça uma pessoa cujo comportamento pode levar à sua prisão”.

As prisões ocorreram depois que o parlamento terminou uma sessão ordinária de 150 dias que decorreu na quarta-feira. Os legisladores têm imunidade especial de prisão enquanto a Dieta está em sessão.

Abe pediu desculpas pelas prisões. “Estou profundamente ciente da minha responsabilidade”, disse ele no início de uma entrevista coletiva na televisão nacional para marcar o fim da sessão de Dieta. Os promotores descobriram que o ex-Ministro da Justiça orquestrou a campanha em nome de sua esposa.

Depois que os Kawai foram presos, a equipe de investigação especial do Ministério Público do Distrito de Tóquio revistou vários locais ligados a eles, incluindo seus escritórios políticos e seus quartos em um complexo de apartamentos para membros da Dieta em Tóquio.

Na eleição da Câmara Alta (algo parecido com a Câmara dos Senadores no Brasil), Anri Kawai, ex-membro da assembléia da província, estava concorrendo para ganhar um dos dois assentos disponíveis no distrito eleitoral de Hiroshima, mas enfrentou preocupações de dividir o voto com um candidato ao LDP, o então veterano Kensei Mizote.

Mizote não conseguiu a reeleição devido à cisão do voto conservador, com outro titular apoiado por partidos da oposição mantendo a cadeira.

A sede do LDP ofereceu uma quantia de 150 milhões de ienes ao campo de Kawai durante a campanha e os promotores estão examinando se o dinheiro foi retirado do fundo e dado aos apoiadores antes da eleição.

O dinheiro fornecido ao campo de Mizote foi de 15 milhões de ienes, o que é considerado o valor médio a ser dado pelo LDP para uma campanha eleitoral, segundo uma pessoa familiarizada com o assunto.

Falando aos repórteres na quarta-feira, Kawai pediu desculpas por causar problemas a todas as partes envolvidas. No entanto, ele sustentou que suas atividades políticas nunca violaram a lei. Sua esposa se recusou a comentar o conselho de seu advogado.

Abe nomeou Kawai, membro do sétimo mandato da Câmara dos Representantes, como Ministro da Justiça, seu primeiro cargo ministerial, em uma reforma do gabinete em setembro. No entanto, ele deixou o cargo no mês seguinte, na sequência de um escândalo financeiro separado sobre a campanha eleitoral de sua esposa.

Ex-Ministro da Justiça e esposa são presos por suposta compra de votos 3
衆議院Shūgiin – A Câmara dos Representantes

Na terça-feira, a secretária paga pelo estado de Anri Kawai foi condenada a 18 meses de prisão, suspensa por cinco anos, por pagar ilegalmente ativistas durante a eleição na Câmara Alta.

Ela perderá seu assento quando a sentença do secretário for finalizada, permitindo que um tribunal reconheça o pedido do promotor público para a aplicação de culpa por associação à lei eleitoral.