Duas bases americanas em quarentena, com 61 casos de coronavírus confirmados em Okinawa

A Base Aérea de Kadena e Camp McTureous, em Okinawa, também sofreram infecções por coronavírus, segundo o governo da província

Duas bases americanas em quarentena, com 61 casos de coronavírus confirmados em Okinawa

Duas bases da Marinha dos EUA em Okinawa foram isoladas pelos militares, com 61 casos de coronavírus confirmados na semana passada, informou o governo da província no sábado. As forças norte-americanas disseram ao governo de Okinawa que os casos foram confirmados entre terça e sábado, na Estação Aérea do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA Futenma e Camp Hansen.

O tenente-general Stacy Clardy, comandante da III Força Expedicionária Marinha e chefe das forças americanas em Okinawa, explicou a situação das infecções nas instalações militares ao governador Denny Tamaki por telefone. O Corpo de Fuzileiros Navais disse que “realizou experimentos em dois grupos localizados de indivíduos que deram positivo para o vírus” e que todo o pessoal que deu positivo para COVID-19, a doença respiratória causada pelo vírus, está isolado.

Antes do número exato da infecção ser divulgado, Tamaki disse em uma entrevista coletiva que estava “chocado” com o relatório das forças americanas sobre as novas infecções. “Temos fortes dúvidas sobre medidas (tomadas pelas tropas americanas) para impedir a propagação do vírus”, afirmou.

Tamaki acrescentou que alguns militares americanos realizaram festas nas áreas centrais e praias em torno de 4 de julho para comemorar o Dia da Independência e convidou os participantes a procurar um médico se não se sentirem bem. A província da ilha ao sul registrou 148 casos de coronavírus, excluindo os de militares dos EUA. Okinawa hospeda a maior parte das instalações militares americanas no Japão.