Começam testes com robôs em lojas de conveniência

Seu design peculiar visa ajudar os compradores a se sentirem à vontade, pois as pessoas podem se sentir desconfortáveis ​​com robôs que se parecem com humanos.

Começam testes com robôs em lojas de conveniência

Em agosto, um robô que se parece vagamente com um canguru, começará a repor sanduíches, bebidas e refeições prontas nas prateleiras de uma loja de conveniência japonesa em um teste que sua fabricante, a Telexistence, espera ajudar a desencadear uma onda de automação comercial.

Após esse teste, o operador da loja FamilyMart diz que planeja usar trabalhadores de robôs em 20 lojas em torno de Tóquio até 2022. No início, as pessoas operarão remotamente os robôs – até que a inteligência artificial (IA) das máquinas possa aprender a imitar os movimentos humanos. A cadeia de lojas de conveniência rival Lawson está implantando seu primeiro robô em setembro, de acordo com a Telexistence.

“Ele avança o escopo e a escala da existência humana”, disse o executivo-chefe da fabricante de robôs, Jin Tomioka, ao explicar como sua tecnologia permite que as pessoas sintam e experimentem outros lugares além de onde estão. No entanto, pode levar mais 20 anos até que os robôs possam trabalhar nas casas das pessoas, disse ele.

A idéia, chamada de telexistência, foi proposta pela primeira vez pelo co-fundador da start-up, professor Susumu Tachi, da Universidade de Tóquio, há quatro décadas.