Cidade em Shizuoka determinada a fazer bom uso de casas vazias

Dez milhões dos 60,6 milhões de lares no Japão são considerados vazios ou abandonados e o problema só está piorando. Estima-se que até 2033, 30% de todas as casas do país estarão vazias

Cidade em Shizuoka determinada a fazer bom uso de casas vazias
Desbravando o Japão

Casas vazias, ou akiya, pontilham a paisagem em todo o Japão. São mais comuns em aldeias isoladas nas prefeituras rurais, como Okayama no mar interior, em Kumamoto, em Kyushu, no extremo sul do arquipélago japonês. Mas mesmo Tóquio não está imune a essa “praga”. Na capital dominada por apartamentos, uma em cada dez casas foi abandonada aos elementos.

Colocar as akiya em bom uso não é tarefa fácil. Um município que tenta resolver o problema é Fukuroi, na província de Shizuoka. Em face disso, Fukuroi é uma cidade próspera, que cresceu nos últimos 50 anos, passando de 48.000 habitantes em 1960 para 88.000 hoje. Apesar do crescimento populacional, sinais do eventual declínio da cidade podem ser vistos nas casas abandonadas espalhadas por seus subúrbios.

Mas a situação está longe de ser desesperadora. Determinadas a deter a praga de akiya, as autoridades de Fukuroi estabeleceram um “centro de aconselhamento” para proprietários preocupados com o que fazer com suas propriedades indesejadas. Desde o dia 2 de abril, os proprietários de casas desocupadas podem obter aconselhamento e orientação gratuita de uma equipe dedicada de especialistas do Conselho de Contra medidas de Casas Vazias de Fukuroi, um órgão formado por agentes imobiliários locais, construtores e especialistas jurídicos.

As autoridades de Fukuroi esperam que os proprietários de akiya renovem, reformem ou que eles venham a demolir essas casas. Os proprietários que desejam manter suas propriedades podem obter conselhos sobre como renová-los para à venda ou aluguel. As autoridades dizem que, com uma reforma adequada, muitas das propriedades vazias da cidade podem ser alugadas para casais jovens ou convertidas em estúdios.

N48 - 21-05-2020

Leia em Grapee (George Lloyd - Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também