Armadilha de perseguidores japoneses que muitos podem não saber

“Jogando coisas super estranhas no chão, os perseguidores traçam seu alvo na rede social de quem a publica”

Armadilha de perseguidores japoneses que muitos podem não saber

Um fã obcecado por uma cantora japonesa, localizou seu alvo analisando o cenário refletido em seus olhos, em fotos postadas nas mídias sociais. Esse parece ser o pico de esforços elaborados por stalkers ou perseguidores, mas um usuário japonês do Twitter pode estar alertando o público sobre outra estratégia que os perseguidores usam para assediar suas vítimas.

Na foto abaixo, há uma refeição com um caranguejo cozido comprado em uma loja, no chão de uma estação de metrô. Obviamente, é uma coisa bastante incomum de se deparar, então tirar uma foto dela e postá-la no Instagram ou no Twitter para que seus amigos saibam sobre uma descoberta tão bizarra parece bastante inofensivo. No entanto, um comentário nas fotos oferece uma explicação teórica sobre por que você pode encontrar algo tão estranho por aí:

“Jogando coisas super estranhas no chão, os perseguidores traçam seu alvo na rede social de quem a publica. Você deve verificar se alguém está à espreita (quando você tira a foto).”

A ideia de uma armadilha tão elaborada (e com probabilidade de falhar) suscita, de maneira compreensível, algum ceticismo. Não ajuda que a conta do Twitter que postou a interação crie Tweets fictícios, e a ideia de comprar uma refeição tão cara apenas para rastrear alguém que pode ou não perceber que é duvidosa. Ainda assim, vários comentários responderam dizendo que já ouviram falar do método. O suposto método pode ser um dos muitos que levaram a uma revisão das leis anti-perseguição no Japão.

N29 - 14-02-2020