Ano Novo: ao estender feriado, governo pode ter planos de eleições antecipadas

Parte do Partido Liberal Democrático afirma que a extensão do feriado de Ano Novo não tem relação com uma possível dissolução da Câmara Baixa, apesar de evidências provarem o contrário

Ano Novo: ao estender feriado, governo pode ter planos de eleições antecipadas
Fachada do prédio do Parlamento japonês

Os comentários do Ministro de Revitalização Econômica, Yasutoshi Nishimura para transformar o período do Ano Novo num feriado prolongado, com o objetivo de prevenir infecções com o novo coronavírus, tem causado polêmica dentro do Partido Liberal Democrático (LDP), pois “traz o risco de afetar o plano de dissolução da Câmara dos Representantes“.

Embora o primeiro dia da sessão ordinária da Dieta – que será convocada apenas em janeiro – seja uma opção para o momento de dissolver a Câmara Baixa do Japão e realizar uma eleição geral antecipada, alguns membros do LDP aparentemente pensam que estender o feriado até 11 de janeiro. O secretário-geral do LDP, Toshihiro Nikai, tem tentado resolver as questões alegando: “O feriado não está relacionado à dissolução da Câmara Baixa“.

O desejo de dissolver mais cedo a Câmara Baixa, enquanto o índice de aprovação do Gabinete é alto, foi enraizado no partido no poder. Embora reste menos de um ano para o fim do mandato dos legisladores, o Primeiro-ministro Yoshihide Suga adiou a dissolução da Câmara antes do ano terminar.

Um cenário possível para eleições antecipadas é dissolver a Câmara Baixa, uma vez que o terceiro orçamento suplementar for promulgado no início do ano novo. Opções para uma dissolução bem cronometrada se tornarão mais limitadas se uma potencial dissolução de janeiro não for considerada. “Vamos dissolver a Câmara quando for necessário, seja qual for o momento”, enfatizou Nikai em uma entrevista coletiva.