Vacina: governo indenizará mortes em 44 milhões de ienes no Japão

Na verdade, o governo japonês sempre indenizou da mesma forma qualquer efeito colateral gerado por vacinas no país

Vacina: governo indenizará mortes em 44 milhões de ienes no Japão
Desbravando o Japão

Parte da série Coronavírus, em 356 posts

Pode parecer surpreendente em um país que está muito pronto para colocar uma máscara, mas o medo dos efeitos colaterais e uma atitude geral de “provavelmente não vai acontecer comigo” mantiveram as taxas de vacinação contra a gripe em 50% ano após ano, apesar do fato de que no Japão o número de mortes por gripe em 2018 foi quase igual ao número de mortes por COVID-19 em 2020.

No entanto, que temem que a prevenção possa ser pior do que a doença podem ser influenciados por um relatório recente do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar informando que indenizará em 44,2 milhões ienes (420 mil dólares) as famílias de quaisquer pessoas que venham a óbito como resultado da vacina COVID-19 e ainda cobrirá os custos do funeral em até 209 mil ienes (2 mil dólares). Não importa se houve negligência por parte da equipe médica ou do fabricante da vacina.

Na verdade, esta é uma política de longa data do Ministério que cobre qualquer tipo de vacinação, não apenas a COVID-19. No entanto, recentemente virou notícia quando foi citado pela Ministra da saúde, Norihisa Tamura, em uma reunião de orçamento. De acordo com um relatório da Diamond Online, a ambiguidade dos efeitos colaterais da vacina tende a trabalhar a favor das vítimas no tribunal. Como resultado, as empresas farmacêuticas japonesas relutam em produzir vacinas nos últimos anos, porque os riscos financeiros superam os benefícios.

Isso, combinado com o fato de que grande parte do público nem mesmo está ciente da política, sugere que ela provavelmente tem mais a intenção de persuadir as empresas japonesas a produzir suas próprias vacinas, reduzindo sua responsabilidade. No entanto, a Diamond Online também aponta que mesmo depois de aceitar o dinheiro do governo, as vítimas ainda têm o direitos sobre as empresas no tribunal.

Leia em Sora News 24 (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também