Locais amaldiçoados de Tóquio: o santuário do Amor com 7 mistérios e um fantasma de samurai vingativo

Você sabia que existem locais dentro e ao redor de Tóquio onde as pessoas são proibidas de entrar, para que não sejam levadas embora por espíritos vingativos e amaldiçoadas para sempre?

Locais amaldiçoados de Tóquio: o santuário do Amor com 7 mistérios e um fantasma de samurai vingativo

Esses lugares amaldiçoados e as histórias sombrias escondidas por trás deles, costumam ser esquecidos pelos guias de viagem. O Santuário de Nitta tem uma história que remonta 650 anos ao Período Nanboku-cho (Período dos Tribunais Sul e Norte), que abrangeu os anos de 1336 a 1392, quando o país foi dividido entre o norte e o sul, com intenso conflito entre os duas facções.

No sul, um poderoso samurai chamado Nitta Yoshioki foi aclamado por ser um dos melhores lutadores e estrategistas da época, mas ele morreu em um ataque covarde na balsa de Yaguchi, quando membros do clã do norte se passaram por seus amigos acabaram tramando uma emboscada, abrindo buracos no fundo do barco e disparando flechas contra ele e seus servos.


Leia em Daisuki Tchê: Kaidankai: 3 histórias japonesas de fazer a alma sair do corpo!

Dizem que o samurai envolvido na morte de Nitta foi amaldiçoado, morrendo após ser enlouquecido por assombrações de seu espírito. A área também foi devastada por tempestades e relâmpagos após a morte de Nitta, levando os moradores a construir o Santuário de Nitta no local onde ele foi morto, a fim de apaziguar seu espírito vingativo.

Nitta, o Santuário amaldiçoado

Amaldiçoado
A morte de Nitta Yoshioki na balsa Yaguchi

Os Sete Mistérios listados são:

1. Após a morte de Nitta Yoshioki, o trovão continuou por sete dias e sete noites. Quando o samurai que matou Nitta voltou para a balsa Yaguchi, um trovão rugiu das nuvens escuras e o fantasma de Nitta apareceu de repente, fazendo com que o samurai caísse de seu cavalo e morresse enlouquecido. Depois disso, o rancor se transformou em uma bola de fogo e lançou um raio perto de Yaguchi.

2.  O monte atrás do santuário é um monte circular onde o corpo de Nitta foi enterrado. Chamado de Monte Girando-em-sua-sepultura ou Colina Selvagem, qualquer um que entrar na área será amaldiçoado.

3.  Diz-se que o barco em que Nitta embarcou e sua armadura enterrada dentro do monte cresceu e se tornou um Barco de Cedro (mais tarde queimado por um raio).

4.  O bambu no monte é chamado de bambu bandeira, pois é onde a bandeira branca do clã Minamoto foi hasteada. [As cores vermelho e branco da bandeira japonesa vêm, respectivamente, dos clãs Taira e Minamoto que lutaram na Guerra de Genpei de 1180–1185]. Como o bambu aqui faz um som de estalo durante tempestades , o estudioso Hiraga Gennai recomendou fazer Yamori (“amuletos de flecha”) com o bambu, que deu origem aos amuletos de flecha hamaya vendidos em santuários ao redor do Japão atualmente.

5. Quando o santuário é visitado pela família ou descendentes de Kunikiyo Hatakeyama, o representante do shogunato do norte que enviou os membros do clã Edo para matar Nitta, sempre chove e os cães guardiões rosnam.

6. A sagrada árvore Zelkova de 700 anos ainda vive, apesar de ter sido dividida por raios e danos de guerra. Diz-se que tocar nesta árvore sagrada trará longevidade, cura de doenças e rejuvenescimento. Um raro visco cresce na parte superior da árvore.

7. O barqueiro envolvido na morte de Nitta mais tarde se arrependeu de suas ações, construindo uma estátua de jizo para expiar sua parte no incidente, mas é dito que o corpo de pedra desmoronou e se dissolveu devido à maldição de Nitta.

É um monte de mistério e história conectado a este local em Tóquio. As coisas certamente mudaram desde os tempos de Nitta Yoshioki nos anos 1300, mas não importa quantos anos se passem, o poder da ira do samurai amaldiçoado continua a ser uma força que não existe igual.

Deixe uma resposta

Leia mais posts relacionados