Suga se torna o primeiro-ministro do Japão

Suga disse que está empenhado em fazer avançar as políticas de Abe e quer colocar a terceira maior economia do mundo em um caminho de crescimento

Suga se torna o primeiro-ministro do Japão

Yoshihide Suga assumiu o cargo de novo primeiro-ministro do Japão na quarta-feira, formando um Gabinete de rostos conhecidos para manter o curso estabelecido por seu antecessor Shinzo Abe. O ex-secretário-chefe do Gabinete assume o cargo mais importante em um momento em que o país enfrenta uma economia prejudicada pelo novo coronavírus, enquanto os desafios de longo prazo incluem a queda da taxa de natalidade do país e o aumento das tensões com os vizinhos asiáticos.

“Durante essa crise nacional, um vácuo político deve ser evitado a todo custo”, disse Suga em sua primeira entrevista coletiva como primeiro-ministro. “Para que todas as pessoas restaurem a paz em suas vidas, vou continuar e levar adiante as políticas do governo Abe. Reconheço que é uma missão que me foi dada.”

Suga, eleito pelo parlamento depois de se tornar chefe do Partido Liberal Democrata, no poder, há dois dias, prometeu equilibrar a prevenção de um aumento nas infecções com a retomada da atividade econômica e social, dizendo que era crucial para manter as empresas funcionando e proteger os empregos. Ele disse que o surto de COVID-19 demonstrou a necessidade do governo usar a tecnologia de forma mais eficiente e que uma nova agência seria criada para assumir a liderança na tarefa.

Ao contrário de Abe e de muitos outros legisladores do Japão, ele não é descendente de uma dinastia política, Suga prometeu levar adiante reformas administrativas “para quebrar o seccionalismo burocrático, interesses investidos e maus precedentes” que estão atrapalhando o governo. O ex-chefe da defesa Taro Kono, visto como um futuro candidato a primeiro-ministro, foi escolhido como ministro responsável por liderar as reformas.