Japão vence guerra contra as sacolas plásticas, mas furtos tem aumentado

A cobrança de sacolas plásticas fez com que alguns clientes escondessem mercadorias em suas sacolas reutilizáveis, dizem as redes de supermercados

Japão vence guerra contra as sacolas plásticas, mas furtos tem aumentado

Os consumidores japoneses adotaram uma campanha para combater o uso de sacolas plásticas, mas novas medidas para combater a poluição marinha criaram um problema imprevisto: um aumento no furto em lojas. Todas as lojas do Japão foram obrigadas a introduzir uma taxa para sacolas plásticas de compras em julho, com o objetivo de encorajar os compradores a usar suas próprias sacolas reutilizáveis ​​em vez de pagar pelas sacolas de compras.

Enquanto as cadeias de supermercados e lojas de conveniência relataram uma queda dramática no uso de sacolas plásticas à medida que os consumidores mudaram rapidamente seus hábitos de compra, uma proporção significativa disse que alguns estavam explorando a campanha contra plásticos descartáveis ​​para furtar as lojas. Apesar de serem incentivados a usar as cestas regulares, alguns compradores colocam os itens em suas próprias sacolas, tornando mais difícil para os funcionários identificarem produtos roubados, de acordo com relatos da mídia.

No Akidai Sekimachi Honten, um supermercado em Tóquio, cerca de 80% dos clientes começaram a trazer suas próprias sacolas quando a cobrança das sacolas plásticas foi introduzida, de acordo com a Jiji Press. As três maiores operadoras de lojas de conveniência do país relataram uma tendência igualmente impressionante, dizendo que 75% de seus clientes haviam evitado sacolas plásticas em julho, quando a cobrança foi introduzida. Mas um aumento no furto forçou as lojas a aumentarem a segurança, incluindo medidas para combater o roubo de cestas que alguns clientes usam para levar suas compras para casa em vez de pagar por uma sacola plástica.

“Não estamos bem com os clientes levando as cestas, já que custam algumas centenas de ienes cada”, disse Hiromichi Akiba, o presidente da rede de supermercados a Jiji. “Pensamos que poderíamos reduzir custos cobrando por sacolas plásticas, mas temos enfrentado despesas inesperadas. Os vendedores de loja dizem que relutam em confrontar pessoas que suspeitam que colocaram itens em uma sacola reutilizável com a intenção de sair sem pagar. “É difícil julgar se eles estão roubando ou não”, disse um funcionário de um supermercado de Tóquio.

Em resposta, um grupo sem fins lucrativos produziu cartazes aconselhando os clientes sobre “etiqueta de compras”, como manter suas sacolas reutilizáveis ​​dobradas até que tenham passado pelo caixa. Um especialista em furtos em lojas sugeriu que os funcionários saiam de seu posto para conversar com os clientes “para ficar de olho neles”. Apesar de gerar um aumento nos crimes menores, os ativistas dizem que a cobrança das sacolas plásticas estava atrasada no Japão, o segundo maior produtor mundial de lixo plástico per capita depois dos EUA, com consumidores consumindo cerca de 30 bilhões de sacolas plásticas por ano.