Japão busca dar um grande “salto” nas Olimpíadas e ganhar mais medalhas como a nação anfitriã

“A meta de 30 medalhas é muito, muito desafiadora, mas algumas medalhas de prata estão muito próximas das medalhas de ouro. Nosso objetivo é transformar prata em ouro”

Japão busca dar um grande “salto” nas Olimpíadas e ganhar mais medalhas como a nação anfitriã
Desbravando o Japão

Receba os posts por email assim que foram publicados

Parte da série Olimpíadas de Tóquio, em 50 posts

Os países que sediam as Olimpíadas geralmente recebem um “salto” de medalha, pressionado pelos torcedores e a vantagem de estar em casa, mas é claro que a possibilidade oposta também existe – a “desvantagem de jogar em casa”.

“Precisamos aproveitar a vantagem em casa, mas também temos que remover todas as desvantagens que temos”, disse Mitsugi Ogata, vice-chefe da delegação japonesa para os Jogos de Tóquio. “Como estamos em casa, há muita pressão e mais expectativas. Temos que superar isso e transformar os aplausos em nossa própria energia. ”

O Japão tem uma alta expectativa, disputando 30 medalhas de ouro. Três anos atrás, no Rio de Janeiro, o país ganhou apenas 12. Seu melhor desempenho foi 16 medalhas de ouro em Atenas, no ano de 2004 e em 1964, na primeira vez que Tóquio foi a sede dos Jogos.

O Japão provavelmente contará com sete esportes principais: natação, judô, badminton, atletismo, ginástica, tênis de mesa e luta livre. O país também possui chances de bons desempenhos em cinco esportes adicionados aos Jogos de Tóquio: beisebol, softbol, ​​escalada esportiva, karatê e skate.

N24 - 16-12-2019 - Medalhas
Tsuyoshi Fukui, à esquerda, posa com Mitsugi Ogata durante uma coletiva de imprensa em Tóquio. Foto: AP

Leia em Asahi (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também