Japão busca dar um grande “salto” nas Olimpíadas e ganhar mais medalhas como a nação anfitriã

“A meta de 30 medalhas é muito, muito desafiadora, mas algumas medalhas de prata estão muito próximas das medalhas de ouro. Nosso objetivo é transformar prata em ouro”

Japão busca dar um grande “salto” nas Olimpíadas e ganhar mais medalhas como a nação anfitriã
Tsuyoshi Fukui, à esquerda, posa com Mitsugi Ogata durante uma coletiva de imprensa em Tóquio. Foto: AP

Os países que sediam as Olimpíadas geralmente recebem um “salto” de medalha, pressionado pelos torcedores e a vantagem de estar em casa, mas é claro que a possibilidade oposta também existe – a “desvantagem de jogar em casa”.

“Precisamos aproveitar a vantagem em casa, mas também temos que remover todas as desvantagens que temos”, disse Mitsugi Ogata, vice-chefe da delegação japonesa para os Jogos de Tóquio. “Como estamos em casa, há muita pressão e mais expectativas. Temos que superar isso e transformar os aplausos em nossa própria energia. ”

O Japão tem uma alta expectativa, disputando 30 medalhas de ouro. Três anos atrás, no Rio de Janeiro, o país ganhou apenas 12. Seu melhor desempenho foi 16 medalhas de ouro em Atenas, no ano de 2004 e em 1964, na primeira vez que Tóquio foi a sede dos Jogos.

O Japão provavelmente contará com sete esportes principais: natação, judô, badminton, atletismo, ginástica, tênis de mesa e luta livre. O país também possui chances de bons desempenhos em cinco esportes adicionados aos Jogos de Tóquio: beisebol, softbol, ​​escalada esportiva, karatê e skate.

N24 - 16-12-2019 - Medalhas
Tsuyoshi Fukui, à esquerda, posa com Mitsugi Ogata durante uma coletiva de imprensa em Tóquio. Foto: AP