Indústria automobilística do Japão promete proteger empregos em meio a crise de vírus

Akio Toyoda comparou a atual incerteza a necessidade de ficar em casa durante um longo inverno. Algumas montadoras interromperam a produção devido a queda das vendas

Indústria automobilística do Japão promete proteger empregos em meio a crise de vírus

Parte da série Coronavírus, em 354 posts

O presidente-executivo da Toyota, Akio Toyoda, prometeu que a indústria automobilística japonesa procuraria proteger empregos em todo o mundo, à medida que enfrenta a pandemia de coronavírus.

Toyoda, falando como chefe da Associação Japonesa de Fabricantes de Automóveis, disse estar preocupado com a possibilidade de a economia japonesa ser destruída antes que o mundo possa vencer a luta contra a doença causada pelo COVID-19. “Se nossos hospitais ficarem sobrecarregados ao ponto de devastação, o Japão poderá nunca conseguir se recuperar”, disse Toyoda em entrevista coletiva on-line.

O grupo que reúne montadoras japonesas, incluindo Nissan Motor Co. e Honda Motor Co., e também fabricantes de peças, criará um fundo especial para ajudar os demitidos a encontrar empregos, disse Toyoda. Toyoda disse que a maior ameaça para a indústria é a perda potencial de trabalhadores qualificados com sua fineza de fabricação e engenharia.

Após a Segunda Guerra Mundial, a Toyota fabricou panelas e frigideiras e cultivou batatas em fazendas, disse Toyoda, enfatizando a determinação das montadoras de fazer praticamente qualquer coisa para proteger empregos e sobreviver. Nos Estados Unidos, a Toyota começou a fazer máscaras faciais, apesar de serem muito enrugadas para serem vendidas e, em vez disso, serão usadas nas instalações da Toyota para reduzir a demanda em outros lugares, disse Toyoda.

Leia em Asahi (Inglês)

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *