Ikumen: como os ‘pais bonitões’ do Japão estão mudando o país

Ikumen: como os ‘pais bonitões’ do Japão estão mudando o país

Há alguns anos, governo japonês lançou um programa para tornar a paternidade “legal e sexy”.

O estilo de vida japonês moderno, sempre corrido e em constante mudança, criou a necessidade de um novo olhar sobre a paternidade. Por este motivo foi criado o Projeto Ikumen. Iku em ‘Ikumen’ significa ‘Ikuji’, que significa ‘criação de filhos’ em japonês. Ikumen nada mais é que o homem que participa ativamente na criação dos filhos, tarefa que no Japão tradicionalmente era negligenciada pelos homens.



A origem o termo Ikumen

“Ikumen” é a expressão (ou gíria) usada no Japão para designar o pai que cuida de seus filhos de maneira entusiasta, mais que isso, designa aquele pai que o faz no lugar da mãe, e sobretudo, aquele pai que gosta de cuidar dos filhos. Em 2006, uma empresa japonesa começou a usar o Ikumen para incentivar a participação do pai na assistência à infância e impedir a diminuição da população do Japão. Depois disso, o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar começou a projetar o Ikumen em 2010, tentando criar uma sociedade melhor para os homens de negócios participarem do trabalho doméstico e incentivar o cuidado infantil. O Ikumen causou grande impacto ao pai japonês através da brecha entre o propósito ideal e a situação real.

Se você consome conteúdo de entretenimento japonês, muitas vezes poderá se deparar com a palavra Ikumen em dramas, mangás, animes, livros e revistas. Na verdade, de acordo com uma pesquisa de opinião pública de 2000, 70% das famílias concordaram que o pai cuida dos filhos e 10% dos pais desejam fortemente cuidar dos filhos sozinho. No entanto, a maioria de suas opiniões reais diz que “eu quero cuidar das crianças, mas quero me concentrar no meu trabalho” ou”as mulheres precisam cuidar das crianças”.

Ikumen – como surgiu o movimento

Uma divisão estrita de gênero na família foi formada social e tradicionalmente no Japão. Normalmente, os pais costumam ser os chefes de família e continuam a assistir às tarefas domésticas, enquanto as mães devem ficar em casa fazendo todos os trabalhos domésticos, incluindo a criação dos filhos. Como mostra a teoria da ‘masculinidade hegemônica’ introduzida por Connell (2005), houve subordinação das mulheres por esses papéis binários de gênero na sociedade japonesa. No entanto, à medida que os tempos mudam, mais mulheres estão trabalhando fora e o número de famílias de dupla renda vem aumentando nas últimas décadas. Portanto, à medida que os papéis tradicionais de gênero no agregado familiar descritos acima estão se desatualizando, as desigualdades na distribuição do trabalho doméstico estão sendo reveladas, o que tem sido uma questão crucial para as mulheres equilibrarem o trabalho e a educação dos filhos. Como a BBC relata, a situação das mães que trabalham é muito dura: “As Mulheres que estão tendo filhos não estão trabalhando. As mulheres que estão trabalhando não estão tendo filhos”. Nessas situações, o projeto Ikumen aumenta a esperança de contribuir para reduzir o fardo das mulheres e alcançar a igualdade de gênero no Japão, incentivado pela “Wimenomics”, que é um manifesto de alta prioridade do governo atual.

Pontos positivos do Ikumen / Como isso mudou a masculinidade hegemônica japonesa?

O surgimento do “Ikumen” agitou os papéis tradicionais de gênero japoneses e questionou a masculinidade hegemônica à moda antiga, tanto no nível individual quanto no social. No nível individual, muitos maridos que participaram do projeto Ikumen refletiram sobre sua atitude em relação às famílias e aos cuidados com as crianças, e também sobre seu estilo de trabalho. Por exemplo, um Ikumen diz que passou a respeitar as mães que trabalham depois de tirar a licença paternidade e que deseja ser um modelo de Ikumen para outros pais que trabalham. No nível social, o movimento do Ikumen incentivou as empresas a popularizar e permitir a licença de paternidade para seus funcionários. Na verdade, um Ikumen relata que sua licença paternidade mudou a atitude dos colegas em relação à cuidar dos filhos por parte dos homens. Assim, é altamente provável que o surgimento do Ikumen tenha nos levado a sensibilizar a masculinidade hegemônica e a distinção de gênero sobre criação dos filhos, que dificilmente é adequada para a sociedade moderna. Considerando que a masculinidade hegemônica pode ser socialmente construída, os Ikumen têm o potencial de mudar esse construto e promover a igualdade de gênero.

As limitações do Ikumen

Por outro lado, a idéia do Ikumen tem limitações para mudar a masculinidade hegemônica e a transformação de gênero. Primeiro, o Ikumen pode ter dificuldade em se livrar da estrutura da masculinidade hegemônica, desde que o próprio conceito de Ikumen seja construído predominantemente pelos homens. Não apenas Ikumen é incentivado em larga escala por meio do ‘Projeto Ikumen’, que é promovido por um governo dominado por homens, mas também há pouca contribuição e perspectiva de mulheres na conceituação de Ikumen. De fato, não há menção de ‘mulheres’ na definição de Ikumen pelo Projeto Ikumen, que define que ‘Ikumen são homens que gostam de criar filhos e crescem’ (Tchê, essa é a minha tradução para o português do original em japonês). Certamente, são os homens que fazem Ikumen. No entanto, a falta de pontos de vista das mulheres sobre Ikumen pode estar na verdade fortalecendo a masculinidade hegemônica.

Ainda, a distribuição da educação infantil por Ikumen não promove necessariamente a transformação de gênero. Mesmo que as mães pudessem ser emancipadas do ônus da assistência à infância com o apoio de Ikumen, elas não têm garantia de estar economicamente presentes, nem de trabalhar em altas posições com salário igual ao de seus maridos. Talvez esse fenômeno seja apenas um romance de avanço social feminino, e a libertação das mulheres neste caso seria dependente de um romance complementar de responsabilidade doméstica masculina. Além disso, parece possível que a discussão sobre Ikumen tenha mudado a atenção das instituições para as responsabilidades domésticas de cuidar das crianças. Na verdade, a discussão de como melhorar o ambiente de trabalho para as mães não chegou a conclusões tangíveis. Portanto, a ideia de Ikumen corre o risco de tornar a luta saliente das mulheres ainda mais invisível.

Ikumen
Um Ikumen brinca com seus filhos – Foto: Wikipedia

A verdade por trás do título de Ikumen segundo as esposas japonesas

Segundo uma pesquisa de 2018, 40,2% dos homens disseram que fazem tarefas domésticas e cuidam das crianças diariamente, enquanto 93,3% das mulheres o fazem. Além disso, 25,4% disseram que fazem nos finais de semana e 15,6% disseram que fazem quando querem.

O problema começa quando fazer o trabalho doméstico se torna “um favor”. No Twitter, as mães estão falando sobre seus maridos “Ikumen”. (Perdoe minhas traduções Tchê, mas a maneira que se digita no Twitter não ajuda).

  • Meu Ikumen diz ‘dou banho na minha filha’. Pensei que dar banho significasse preparar a água quente, dar banho, secar, colocar creme e colocar o pijama? Não me chamar para terminar tudo !! (ぷ う こ (@ g0r0pikamammy))
  • Meu marido diz: ‘Eu sou tão Ikumen’ depois de segurar nosso filho por um segundo ou lavar a roupa apenas quando ele quiser. O que outras pessoas estão dizendo? (ぷ う こ (@ g0r0pikamammy))
  • Quando uma mulher cuida de um filho, é normal, enquanto um homem que dá uma mãozinha se chama Ikumen. (な か の の 夫 @nakanonohusband)

No Japão, quando um pai troca as fraldas, dá banho nas crianças, pega a criança quando chora ou brinca com elas no parque, as pessoas lhe dão uma honra através do título de Ikumen.

@nakanonohusband menciona 9 características estranhas dos pais Ikumen.

  1. Eles não trocam a fralda quando a criança faz cocô.
  2. Se o bebê não se acalmar em três minutos, ele simplesmente desiste.
  3. Eles acham que cuidar das crianças = brincar (eles levam apenas a parte divertida)
  4. Eles não põe as crianças para dormir.
  5. Eles publicam o quanto cuidam de seus filhos no Twitter ou Instagram.
  6. Eles carregam o bebê apenas quando estão fora.
  7. Eles só fazem coisas com as crianças, mas não fazem trabalhos domésticos.
  8. Eles insistem que fazem o suficiente quando suas parceiras apontam.
  9. Eles se chamam Ikumen

Muitos pais não querem títulos e apenas compartilham o trabalho doméstico, porque fazem parte da família. Eles não estão ajudando suas esposas, mas compartilhando os deveres da casa, incluindo os cuidados com as crianças.

Antes do Ikumen

Antes da palavra Ikumen, havia uma palavra, 家族サービス (kazoku saabisu), literalmente “Serviço Familiar”, o que significa que um pai faz algo pela família. Pode ser brincar com as crianças ou levar a família a um restaurante. Um pai dizia: “Neste fim de semana, irei em uma viagem de fim de semana como um serviço familiar” em vez de dizer: “Eu irei em uma viagem de fim de semana com minha família”.

Muitos homens japoneses consideram que envolver a questão da família é uma distração do trabalho. Eles querem enfatizar que perdem os fins de semana e feriados para fazer as coisas pela família.

De acordo com a pesquisa do Programa Internacional de Pesquisa Social em 2012, os japoneses são os piores entre 33 países e compartilham 18,3% das tarefas domésticas por semana, enquanto os três principais países são Suécia (42,7%), México (41,1%) e Islândia ( 40,1%).

Agora você sabe porque o Japão tem que vender a imagem de homens que cuidam de sua própria casa e filhos, e lhes dá um título, Ikumen.

Ikumen x Covid-19

Agora, com a pandemia do novo Coronavírus, o governo japonês está incentivando o trabalho remoto, mas, na realidade, as pessoas ainda estão indo trabalhar todos os dias em suas empresas. Ainda assim, existem pessoas que decidiram trabalhar em casa. Espero que essa situação faça com que mais homens percebam o que é fazer parte da família e entendam que eles não estão ajudando suas esposas e sim cumprindo seu papel de pais e maridos.

O que esperar do Ikumen

Certamente, o Projeto Ikumen foi um gatilho para repensar a masculinidade hegemônica no Japão. Ele desempenhou um papel importante ao incentivar a sociedade a reformular ativamente o conceito de masculinidade hegemônica. No entanto, isso não necessariamente leva à igualdade de gênero devido à sua incapacidade de abordar os problemas do avanço das mulheres nas atividades econômicas, mesmo que o ônus do cuidado às crianças tenha sido reduzido pelo Projeto Ikumen. Agora é hora de reanalisar a estrutura social fundamental da desigualdade de gênero, que é revelada pelo surgimento dos Ikumen.

Takara Stefens é Gaúcho de nascimento, alma e coração, cidadão do mundo por opção. É pai, professor, escritor, vegano desde 2020 e amante da vida e de tudo que é belo.

Veja o perfil completo de Takara Stefens