Hina Matsuri: o Dia das Meninas

Hina Matsuri: o Dia das Meninas

No dia 3 de março é celebrado o Hina Matsuri, o festival das Bonecas no Japão. Esta data comemorativa é dedicada às meninas, e suas famílias pedem às divindades por saúde e boa sorte. Por este motivo também é chamado de Dia das Meninas.

No dia 3 de março é celebrado o Hina Matsuri, o festival das Bonecas no Japão. Esta data comemorativa é dedicada às meninas, e suas famílias pedem às divindades por saúde e boa sorte. Por este motivo também é chamado de Dia das Meninas.

Hina Matsuri é um festival em que as famílias decoram suas casas com bonecas típicas chamadas hina ningyo, que são colocadas em plataformas. As plataformas mais completas, chamadas hina-dan, tem 7 degraus e são forradas com seda vermelha e ricamente decoradas com flores.

O Hina Matsuri é uma das comemorações mais bonitas do Japão. É um dia em que famílias japonesas que tem filhas pequenas vestem as meninas com kimono e estas recebem seus amiguinhos para um lanche, para cantarem e se divertirem.

Hina Matsuri: o Dia das Meninas 1

Dizem as tradições que a boneca Hina protegerá as crianças e manterá coisas ruins, como acidentes e doenças, longe delas. Essa tradição tem origem na antiga crença japonesa de que os infortúnios podem ser transferidos para as bonecas, que depois seriam jogadas nos rios.

No período Heian (794-1185) havia costume de se tirar a má sorte das meninas através de bonecas. Esse ritual consistia em dar tapinhas no corpo de uma menina com uma boneca feita de palha, papel ou grama para transferir os infortúnios para a boneca e jogá-la no rio ou mar para se livrar da má sorte. Dessa forma, todos os maus fluídos seriam levados pela correnteza, protegendo seus donos. Essa prática é conhecida como hina nagashi.

Existe uma menção indireta desse ritual no Conto de Genji (de Murasaki Shikibu, considerado o primeiro romance literário do mundo), que diz que o terceiro dia do terceiro mês é um dia de purificação, no qual as pessoas transferem espíritos malignos para as bonecas e as liberam em rios e oceanos.

Esse formato de ritualística foi se adaptando durante o período Edo (1603 – 1868), quando as pessoas começaram a celebrá-lo, colocando bonecas Hina em exposição por um curto período de tempo. O objetivo deixou de ser livrar-se dos infortúnios através das bonecas lançadas nos rios, para orar pelo crescimento saudável e pela felicidade das meninas fazendo oferendas para as bonecas.

Hina Matsuri: o Dia das Meninas 2
Foto por: katorisi – GFDL

O costume evoluiu para a exposição das bonecas quando a princesa Okiko, filha do imperador Go-Mizunoo, brincou com uma exibição de bonecas criada exclusivamente para ela. Quando ela assumiu o trono em 1687 como imperatriz Meisho, popularizou o feriado como Hina Matsuri. Desde então, artesãos de todo o Japão vêm produzindo bonecas hina para o feriado, prática que continua até hoje.

As bonecas de palha se transformaram em verdadeiras bonecas de luxo, vestindo quimonos de seda. Hoje em dia, as bonecas Hina são consideradas herança de família, são peças preciosas cuidadosamente embaladas e guardadas até o período do festival do ano seguinte.

As bonecas Hina revelam como era a família imperial nos tempos antigos. É um artesanato tradicional, no qual os artesãos profissionais produzem cuidadosamente peça por peça, utilizando técnicas transmitidas desde os tempos antigos.

As decorações começam em meados de fevereiro e são mantidas até 3 de março. Tradicionalmente, pais ou avós de uma menina recém-nascida compram um conjunto de decorações de bonecas hina para o primeiro Hina Matsuri do bebê. Após essa data, as famílias guardam as bonecas logo em seguida, pois existe a superstição que manter as bonecas por mais tempo resultará em um casamento tardio para as filhas.

Como as bonecas estão dispostas?

Hina Matsuri: o Dia das Meninas 3
Foto por Nullumayulife – Flickr

✔️ No primeiro degrau de cima para baixo estão o Imperador e a Imperatriz, sentados diante de um biombo dourado, e as laterais decoradas com lamparinas e flores de pessegueiro. O início de março é o momento que os pessegueiros florescem. Por isso, também é celebrado o Momo no Sekku, ou Festival das Flores do Pêssego.

✔️ No segundo degrau estão três Damas da Corte, representando a aristocracia;

✔️ Logo abaixo, cinco Músicos, representando os artistas e literatos;

✔️ Em seguida, dois Ministros, representando funcionários do governo;

✔️ Na quinta plataforma encontramos três samurais e plantas, representando a classe guerreira e os domínios feudais;

✔️ Na sexta plataforma são dispostos objetos usados na Corte, como miniaturas laqueadas de móveis, baús para quimonos, penteadeira, utensílios para Cerimônia do Chá, caixa de costura, etc;

✔️ Por fim, a sétima plataforma é decorada com objetos usados fora da Corte, representando as pessoas comuns – miniaturas laqueadas de carroça de boi, palanquim, caixas empilháveis, carroça de flores, etc.

Devido ao alto preço das delicadas peças e a falta de espaço, muitas famílias cada vez mais tem optado por modelos compactos, com 5 ou 3 plataformas ou menores ainda contendo apenas a Imperatriz e o Imperador.

As comemorações do Dia das Meninas incluem também refeições e bebidas especiais preparadas para as meninas receberem seus amiguinhos e também para serem oferecidas às bonecas Hina, sendo dispostas nas plataformas juntamente com as bonecas.

As principais comidas típicas servidas nesse dia são:

O Amazake: uma bebida tradicional japonesa, doce e espessa, feita a partir de arroz glutinoso fermentado. É uma opção não alcoólica de shirozake. Beber shirozake é um dos costumes tradicionais que os japoneses acreditam que elimina as coisas ruins do corpo. Mas é uma bebida alcoólica, então amazake foi feito para as crianças terem a sua bebida para purificar o corpo.

Hina Matsuri: o Dia das Meninas 4
Foto por Midori – GFDL, cc-by-sa-2.1-jp

Hina Arare são bolinhas crocantes de arroz coloridas e as cores dessas bolachas de arroz têm significados interessantes. O branco representa a neve no inverno, o rosa representa a vida, e o verde representa os brotos verdes na primavera. O Hina Arare é um lanche que mostra nossas expectativas em relação à chegada da primavera após o longo inverno frio.

Acredita-se também que quem come cada cor de Hina Arare terá boa saúde até o próximo ano.

Chirashizushi é um tipo de sushi com raízes de lótus, camarão, sashimi e omelete, formando camadas coloridas e divertidas. Os ingredientes também têm significados: diz-se que a raiz de lótus dá o poder de ver o futuro; os camarões são um símbolo de longevidade e assim por diante.

Por fim, o Ushiojiru, uma sopa que contém mariscos como ingrediente principal. As conchas dos mariscos simbolizam a união e a tranqüilidade de um casal, pois apenas duas conchas gêmeas perfeitamente simétricas podem se encaixar perfeitamente. Dizem que, assim como os flocos de neve, não há dois mariscos iguais.

Hoje em dia muitas pessoas também compram bolos muito bem decorados e outros doces em cores delicadas para comemorar o dia.

A ritualística pode variar um pouco de região para região. E alguns locais mantém a tradição de lançar as bonecas nos rios e até passeios de barco com as meninas vestidas de kimono. É sempre muito colorido, delicado e divertido.

Uma representação da magia do Hina Matsuri é contada através de um dos contos da série de curtas-metragens do renomado diretor Akira Kurosawa, chamada “Sonhos”. Vale a pena assistir a produção inteira, mas aqui deixarei o link apenas da “Florada do Pessegueiro”: clique aqui.

Fonte: Matcha, Guia Canal Japão, Kyuhaku e Savvy Tokyo.

Imagem destacada: Will H McMahanUnsplash

Jaqueline Kuriu é praticante de Kyudo, a arqueria tradicional japonesa, e estudante de japonês. Atualmente mora em Tóquio, mas nasceu em Curitiba, onde se formou em Educação Física pela UFPR. Trabalhou com dança e atividades culturais, e realizou palestras sobre arte, música, cultura e viagens.

Veja o perfil completo de Jaqueline Kuriu