Governo japonês considera acabar com as cabines telefônicas

Apesar do governo manter mais de 100 mil em todo o Japão, a utilização das nostálgicas cabines telefônicas é hoje de apenas 2%, em relação a 20 anos atrás

Governo japonês considera acabar com as cabines telefônicas

Para aqueles de nós que têm idade suficiente para se lembrar da vida antes do alvorecer da era do celular, e sabem que as cabines telefônicas salvavam vidas. Porém, atualmente a necessidade de telefones públicos está se tornando cada vez menor. Adicione isso aos custos de manutenção necessários para manter essas relíquias quase obsoletas em funcionamento e é justo dizer que o futuro não parece brilhante para o humilde telefone público.

Atualmente, os telefones públicos são considerados um “serviço universal” no Japão; um termo que significa algo que está facilmente disponível a um preço acessível para todos os cidadãos. De acordo com os regulamentos atuais, as áreas da cidade devem ter um telefone público instalado a cada 500 metros quadrados, com áreas fora da cidade a cada quilômetro. Existem atualmente 110 mil telefones públicos espalhados pelo Japão, com 40 mil telefones públicos extras instalados por empresas, embora de acordo com as estatísticas nos últimos 20 anos, seu uso tenha caído para apenas 2% do que costumava ser.

Como resultado, o governo está atualmente refletindo sobre a ideia de reduzir o número de telefones públicos no Japão e realocar os telefones públicos existentes para abrigos de evacuação, onde podem ser usados ​​em emergências. Ryota Takeda, do Ministério de Assuntos Internos e Comunicações, consultará o Bureau de Informações e Comunicações para tomar uma decisão, que deve ocorrer até junho.