Governador japonês crítica altos salários de servidores públicos de sua província 

salários

Os salários dos servidores públicos da cidade de Koshigaya, na província de Saitama, tornaram-se os mais altos de todo o país, levantando críticas incomuns por parte do governador da província.

Os altos salários tem explicação

A cidade é muito popular, tendo ficado em terceiro lugar no ranking de melhores cidades da província de Saitama no ano passado. Além de ser reconhecida por sua conveniência de transporte, Koshigaya é amplamente aclamada como uma cidade incrivelmente agradável para se viver.

salários

Enquanto a popularidade de Koshigaya continua em ascensão, o governador da província expressou duras críticas em relação aos altos salários dos servidores públicos. Ele argumenta que é necessário encontrar um equilíbrio nos salários dos servidores, considerando o impacto financeiro para a cidade e seus contribuintes.

salários

Os salários dos servidores públicos de Koshigaya são considerados altos, com a cidade liderando a lista de melhores salários na província de Saitama nos últimos quatro anos, ficando em segundo lugar na classificação nacional. Comparativamente, os salários iniciais dos servidores públicos de Koshigaya são significativamente mais altos do que os de outras cidades, com uma diferença de mais de 6 mil ienes, e os graduados recebendo quase 10 mil ienes a mais.

salários

Embora os cidadãos de Koshigaya considerem positivo o pagamento de salários elevados aos servidores públicos, alegando que isso pode aumentar sua motivação para um melhor atendimento, ainda surgem questionamentos sobre os motivos desses altos salários.

salários

Segundo as autoridades, a prática visa proporcionar oportunidades de promoção a cargos mais elevados, independentemente da formação acadêmica, como uma estratégia para atrair e reter talentos qualificados. Mesmo entre os funcionários públicos, é raro encontrar servidores com apenas ensino médio ocupando cargos de gerência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *