A Associação de Futebol do Japão estabelece diretrizes para menores de 16 anos sobre como praticar o cabeceamento

Após vários países proibirem o lance, a Associação de Futebol do Japão não pensa em aderir à proibição

A Associação de Futebol do Japão estabelece diretrizes para menores de 16 anos sobre como praticar o cabeceamento
Desbravando o Japão

A Associação Japonesa de Futebol (JFA) formulou diretrizes para menores de 16 anos, mostrando como treinar cabecear a bola de acordo com sua idade para evitar lesões.

Alguns países proibiram o cabeceamento de jovens jogadores devido ao medo de que o impacto pudesse causar abalo ou deficiência cognitiva, mas o JFA diz: “É necessário aprender a técnica correta para o futuro e aprender, passo a passo, com intensidade e de maneiras que causam menos danos ao cérebro. Para evitar riscos, não devemos bani-lo, mas ‘mostrar-lhe o devido respeito’.”

O procedimento sugerido pela Associação de Futebol

futebol

As diretrizes recomendam que os pré-escolares se acostumem a usar balões ou bolas de jornal enroladas e que os alunos da primeira e segunda séries pratiquem de forma lúdica, como acertar uma bola de borracha leve 10 vezes seguidas com a testa.

Os alunos da terceira e quarta séries terão a oportunidade de cabecear a bola em jogos de oito de cada lado, então eles serão apresentados ao treinamento em que dois jogadores pulam ao mesmo tempo e lutam pela bola no ar com as mãos. 

A partir da quinta e sexta séries, a prática repetitiva com uma pequena bola de futebol será introduzida gradativamente. Para os alunos do ensino fundamental, as diretrizes estipulam que eles devem fortalecer o núcleo do corpo e a área do pescoço e aprender a cabecear com a postura correta.

Sobre a questão do título, a Universidade de Glasgow, no Reino Unido, divulgou um estudo em 2019 que descobriu que jogadores de futebol profissional têm risco três vezes maior de morrer de doenças neurodegenerativas do que o público em geral.

No outono de 2020, a família do ex-jogador da seleção inglesa, Bobby Charlton, anunciou que ele havia desenvolvido demência, e que havia suspeita de uma relação causal por jogar futebol.

futebol

No Japão, um incidente polêmico ocorreu durante o Grande Torneio de Sumô de janeiro deste ano, quando um lutador da divisão makushita sofreu um impacto no início de uma luta, fazendo com que a esta fosse suspensa, mas ele voltou a competir no mesmo evento.

As diretrizes anunciadas pela Federação Inglesa de Futebol no ano passado proíbem, em princípio, a prática de cabeceios para menores de 12 anos, mas não durante os jogos. 

A JFA trabalhou com médicos e investigadores para investigar a frequência de cabeceamento em jogos e sessões de treino por faixa etária, e também realizou entrevistas com ex-jogadores e treinadores da seleção nacional para determinar o conteúdo das orientações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também