Disponibilidade de empregos em setembro é a mais baixa em sete anos no Japão

Agora a disponibilidade de empregos no país é de 103 vagas a cada 100 candidatos

Disponibilidade de empregos em setembro é a mais baixa em sete anos no Japão

A disponibilidade de empregos no Japão caiu para o nível mais baixo em quase sete anos em setembro, com muitos retornando ao mercado de trabalho após uma retomada gradual da atividade econômica que foi desacelerada pela pandemia do coronavírus, mostraram dados do governo.

A relação emprego/candidato piorou para 1,03 de 1,04 em agosto, caindo pelo nono mês consecutivo ao menor nível desde dezembro de 2013, de acordo com o Ministério da Saúde, Trabalho e Previdência.

Mas o nível de deterioração foi menos severo do que uma queda de 0,04 ponto em agosto e uma queda de 0,12 ponto em maio, a maior queda mensal em 46 anos, registrada após a declaração do governo sobre o estado de emergência no início de abril. Dados separados do Ministério das Comunicações e Relações Internas mostraram que a taxa de desemprego em setembro ficou em 3,0%, estável em relação a agosto, quando aumentou pelo segundo mês consecutivo.

Os resultados mostraram que o golpe inicial da pandemia no mercado de trabalho do país tem diminuído gradativamente, embora tenha permanecido em estado grave mesmo após a suspensão completa da Declaração de Emergência no final de maio. O número de desempregados, antes do ajuste sazonal, aumentou 420 mil em relação ao ano anterior para 2,10 milhões, pelo oitavo mês consecutivo. O número de pessoas trabalhando caiu em 790 mil, para 66,89 milhões, queda pelo sexto mês consecutivo.