Dicas úteis sobre etiqueta japonesa

Apesar de ser um ótimo lugar para se viver e para a maioria de nós, desconhecer a etiqueta na prática pode nos levar a cometer mais do que algumas gafes

Dicas úteis sobre etiqueta japonesa
Desbravando o Japão

Vivendo no Japão por cerca de 5 anos, posso afirmar que leva algum tempo para se acostumar com a vida aqui. Vários costumes são exclusivos da nação insular, há nuances sociais e contextos únicos, mesmo você pensando que a etiqueta é uma coisa já ultrapassada. A vida familiar também precisa de alguns ajustes, já que os apartamentos são pequenos e os cômodos possuem disposições interessantes.

Nada é tão simples quanto parece e há muitas formas de constranger as pessoas à nossa volta. Veja esse exemplo passado por um colunista estrangeiro:

“Na época, meu instrutor japonês gentilmente organizou uma cerimônia do chá na casa de sua amiga, que era um professora certificada de cerimônia do chá e uma senhora muito simpática e gentil. Chegamos a sua casa de campo e encontramos tudo preparado para nossa visita. Embora houvesse cerca de cinco de nós participando, como o único participante não japonês, fui o convidado de honra.

Com certeza, a professora da cerimônia do chá realizou uma bela cerimônia e ofereceu chá a todos. Ao terminar, fui escolhido para decidir se o grupo beberia mais ou não. Eu disse OK e todos beberam mais, e novamente me perguntaram se deveríamos beber mais. Parecia que todos ainda estavam se socializando, então novamente eu disse OK.

No geral, não pensei nada sobre isso. No entanto, no caminho para casa, meu instrutor japonês me disse em tom de repreensão que provavelmente tínhamos bebido mais de cem dólares em chá. Como um americano que bebia café, eu não sabia que o chá de alta qualidade poderia atingir preços astronômicos. Além disso, a experiência deixou claro que a etiqueta japonesa evitaria que outros me puxassem de lado ‘embaraçosamente’ para me impedir de fazer papel de bobo. Viva e aprenda”.

12 comportamentos que devem ser evitados

Há muitas coisas para aprender quando se trata de etiqueta no Japão. Uma das coisas mais simples e mais desconcertantes que existe é que comer e caminhar é desaprovado. Os japoneses valorizam a ordem e as ruas limpas, portanto, um pedestre deixando migalhas cair por aí não é bom. A maioria das pessoas que come em público termina seu lanche na frente da loja onde comprou antes de seguir em frente. Por outro lado, comer dentro do carro é uma prática comum e bem aceita (vai dizer que alguma vez isso foi bem visto no Brasil? Nunca, não é).

Quando falamos de comida, precisamos falar sobre os hashi também. Mais especificamente, os visitantes devem evitar colocar o utensílio em pé sobre o arroz ou passar pedaços de comida nos hashi. Essas ações são tradicionalmente praticadas em cremações e sua aplicação em outros lugares é desconcertante, para dizer o mínimo.

Andar de trem, por exemplo, é outra coisa que desconcerta no começo. Os trens têm a atmosfera de uma biblioteca e são muito silenciosos. Naturalmente, não é recomendável falar alto no celular (apesar de nunca ter visto um japonês falando com alguém ao telefone dentro de um trem, mas pode ser só comigo) e muitos lembretes são colocados nos vagões dos trens.

Então, vivendo no Japão, se você pelo menos não quer criar atritos desnecessários, deve ter em mente mais esses pontos:

  • Trate os cartões de visita com respeito, ao dar ou receber, use as duas mãos e faça uma pequena reverência;
  • Não assoe o nariz em público. Mesmo sendo uma necessidade fazê-lo, a prática não é bem vista;
  • Limite o contato físico. Nada de tocar ombros e oferecer a mão para pessoas totalmente desconhecidas, até para as conhecidas;
  • Evite dar a sua opinião;
  • Tire os sapatos antes de entrar em uma casa ou em provadores de roupa, para os japoneses, é a mesma coisa;
  • Não jogar lixo em qualquer lugar. Vez ou outra você vai encontrar lixo na rua, o que não te dá a liberdade para jogar também. Lembre-se: ninguém deve comer e caminhar;
  • Aguarde o sinal para pedestres abrir. Não é porque não há carros passando que você está liberado a cruzar uma rua no “vermelho”;
  • Não se preocupe em cometer erros. Errar por não saber é uma coisa. Ler essa lista e não tentar atender a esses pontos, já passa a ser teimosia.

Dicas e truques para a vida noturna

Embora isso cubra o cotidiano, a vida noturna japonesa é outra fera. Infelizmente não tenho experiência nisso, mas o canal Abroad in Japan (que por sinal foi quem criou a lista, só dei uma contextualizada para fazer sentido para quem vem do Brasil), abordou esse problema. Ah, esse vídeo contém legenda em português, caso você precise:

Em primeiro lugar, enquanto anda pelos pubs, qualquer cliente provavelmente será confrontado com menu em japonês e sem fotos. Em momentos como este, perguntando osusume wa nan desu ka? (“O que você recomenda”). A equipe terá prazer em sugerir vários itens.

Outra dica é aproveitar a toalha de mão fornecida na maioria dos restaurantes durante a refeição. São agradáveis ​​de usar e salvam vidas ao manusear alimentos gordurosos tarde da noite.

Esteja preparado para pagar uma taxa de assento em alguns restaurantes, uma parte infelizmente inevitável de comer fora no país. Uma última coisa a ter em conta é que o Japão ainda é, em grande parte, uma sociedade baseada no dinheiro. Isso significa que em pubs e bares, em particular, os cartões de crédito geralmente não são aceitos. Portanto, certifique-se de ter dinheiro em mãos, embora não haja necessidade de dar gorjeta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também