Bairro de Kobe fica fechado, após dono bloquear única ponte de acesso

O problema em torno dessa ponte ocorre porque ela é propriedade privada e não é da cidade

Bairro de Kobe fica fechado, após dono bloquear única ponte de acesso

Em setembro de 2020, uma ponte de aproximadamente 10 metros que atravessa um pequeno riacho em Kobe foi completamente barricada com sacos de areia, correntes, tubos de metal e placas de “NÃO ENTRE”. Também foi afixada uma placa feita pelo dono da ponte explicando que ele não quer ser responsabilizado por qualquer dano se a ponte vier a quebrar.  Este foi o oitavo bloqueio erguido e sempre a polícia foi chamada para mediar. Esta ponte é a única rota que conecta cerca de 30 casas ao resto de Kobe, criando um dilema jurídico interessante. Por um lado, o dono da ponte não pode infringir o direito de morar dos moradores, mas, por outro lado, os moradores não podem desmontar a barreira do dono porque tecnicamente se trata de uma propriedade privada.

Como um compromisso, o proprietário instalou um portão de lança rudimentar que se destina a permitir a passagem de apenas um único veículo por vez. Parece que ele continuará a fazer isso até que os residentes atendam às suas demandas: comprar sua ponte por 12 milhões de ienes (110 mil dólares) ou pagar um pedágio mensal de 20.000 ienes por carro e 5.000 ienes por motocicleta.  Este tipo de subdivisão não é incomum no Japão. Normalmente, o desenvolvedor paga pelo custo de construção de uma ponte para suas propriedades e depois a entrega para a cidade gratuitamente para que eles possam lidar com a manutenção. Neste caso, entretanto, parece que o desenvolvedor original se esqueceu de transferir a propriedade.

Décadas se passaram sem incidentes e todos presumiram que a ponte estava nas mãos da cidade. Só em abril de 2019, quando uma tubulação de água rachada ligada à ponte precisou de reparos, a cidade soube que não era a proprietária da estrutura. A essa altura, o incorporador havia falido e a propriedade do pequeno trecho da estrada caiu nas mãos de um indivíduo desconhecido. Essa pessoa então vendeu a ponte para o atual proprietário por 12 milhões de ienes em 2017, e quando a cidade veio ligar para falar sobre o cano quebrado, ele presumivelmente pensou que seu investimento estava finalmente prestes a ser pago.

No entanto, parece que este proprietário não sabia que normalmente as pontes são dadas gratuitamente à cidade e quando foi informado de que Kobe se recusou a comprá-las, ele tentou penhorá-las para os residentes, que poderiam então dá-las aos habitantes gratuitamente.