Aplicativo é desenvolvido para ajudar enfermeiros a reduzir o contato com pacientes com COVID-19

Além de colocar em risco a equipe e outros pacientes, grupos de infecções por coronavírus que ocorrem nas enfermarias, obrigam hospitais a recusar pacientes ambulatoriais e de emergência

Aplicativo é desenvolvido para ajudar enfermeiros a reduzir o contato com pacientes com COVID-19

Uma start-up está oferecendo um aplicativo de smartphone para hospitais que permite que pacientes com coronavírus comuniquem suas necessidades aos enfermeiros sem interação física, potencialmente ajudando a evitar surtos de cluster.

Os pacientes hospitalares geralmente usam o botão de chamada de enfermagem quando precisam de algo, mas os internados com COVID-19 são colocados em alas isoladas e o contato físico com as enfermeiras, que devem usar equipamentos de proteção, é reduzido ao mínimo para impedir a propagação do vírus entre os pacientes e os funcionários.

Com o aplicativo, desenvolvido pela OPERe, uma empresa criada pela ex-enfermeira Yuka Sawada, os pacientes podem solicitar que as enfermeiras comprem coisas em lojas em seu nome, solicitar alterações nas quantidades de refeições e registrar a temperatura corporal. Tudo o que é inserido aparece imediatamente nas telas dos postos de enfermagem. Sawada disse que a ideia do aplicativo surgiu de sua própria experiência em um hospital quando ela deu à luz. Ela achou inconveniente que o botão de chamada fosse a única maneira de entrar em contato com as enfermeiras.

O aplicativo, que já foi instalado em vários hospitais, oferece diferentes categorias, refletindo dados sobre as necessidades dos pacientes coletados a partir de entrevistas com hospitais. O Hospital Nissan Tamagawa, na ala de Setagaya, em Tóquio, instalou o aplicativo em maio e recebeu um feedback positivo dos pacientes. Um dos pacientes disse ao hospital que, por medo de infectar os outros, “hesitaria em chamar a enfermeira por algo trivial”.